14 setembro 2015

Querida amiga,













     Nesse momento queria te perguntar tanta coisa que ando me questionando, dessa vez, não é mais para pedir um conselho, não é para falar de minhas maluquices ou dos meus desejos para o futuro. Notei que você se afastou e se fez ficar em segundo plano, você “se deixou de lado” conseqüentemente me abandonou sem querer. Sabemos que essa não é sua intenção, sabemos que você jamais faria isso, mas o mesmo tempo fico na dúvida, afinal: sabemos de tantas coisas, isso não seria um descuido?
     Comi brigadeiro hoje, lembrei de você em minha cozinha se culpando por uma daquelas colheres, ou pelo seu olhar tentador querendo esfregar o dedo sujo de doce sobre o meu nariz, lembrei de você rejeitando o brigadeiro, pedindo água, fazendo charme e lembrei principalmente da minha felicidade, pela sua felicidade, lembrei da nossa gargalhada por estarmos juntas, por sermos amigas e ter poucos assuntos em comum e tanta coisa pra conversar. Depois quando voltei para o quarto, pude lembrar-me de você sentada em minha cama lamentado por algo e doeu por não lembrar o que. Depois disso, preferi até sair do quarto! Quis te ligar para ver se você lembraria sua lamentação passada, porque era minha obrigação - de amiga - saber dos seus conflitos, mas achei bobo de minha parte de ligar tarde da noite. E consegui mais uma vez me sentir culpada, não deveria ter horas para uma amizade começar, nem para terminar…
     Sei que não tem problemas entre nós, porque nos falamos ainda e não brigamos (porque brigaríamos também?), sei que tudo está bem até certo ponto. Antes de nos afastarmos senti você meio estranha e retraída. Tentei conversar, mas quando você não quer falar, eu jamais irei descobrir o que é. Já disse “você é um livro com cadeado, às vezes esconde um capítulo, as vezes esquece de dois” mas eu não posso te fazer lembrar, apesar de tudo, eu não estava aqui desde quando sua história começou, eu cheguei em um capítulo ainda mal escrito e não resolvido.
     Não estou aqui para culpá-la, nem é do meu feitio fazer isso, mas estou aqui para dizer que sinto a sua falta, sinto falta da menina pilhada que você é, sinto falta da sua risada maléfica, dos nossos papos, sinto falta de não precisar do seu abraço por tê-lo todo dia.

2 comentários:

Ricardo Monteiro disse...

Gostei do teu blog. Do jeito que escreve. Bjos.

Isadora Lustosa disse...

Que coisa boa para poder ler em uma sexta-feira! ahahahaha fique a vontade, esse blog adora receber visitas com mensagens boas <3 <3 beijo, beijo